Alguns hábitos diários podem causar problemas auditivos e até surdez

Alguns hábitos diários podem causar problemas auditivos e até surdez

A prevenção é a melhor forma de evitar a surdez. Os problemas auditivos podem surgir em qualquer idade

A surdez, conhecida também por deficiência auditiva, pode ser congênita ou adquirida. A surdez congênita ocorre quando a criança adquire deficiência ainda na gestação. O problema ocorre por diversos fatores, como medicação ingerida pela gestante, doenças adquiridas, como sífilis e toxoplasmose, ou de forma hereditária, nascimento prematuro e problemas no parto.

Segundo o médico otorrinolaringologista, Dr. Luiz Fernando Lourençone, do Instituto de Olhos e Otorrino de Bauru (IOB), a surdez adquirida pode ser desenvolvida sem restrição de idade. “A surdez adquirida, geralmente, é quando o meio que influencia diretamente a perda auditiva, como através de ruídos e exposição à sons altos ou doenças que a pessoa pode ter ao longo da vida. Então, infelizmente, qualquer pessoa corre risco de desenvolver a surdez adquirida”.

Muitas pessoas acreditam a perda auditiva ocorre devido à idade. Porém, o barulho é o principal fator desta perda. Até mesmo sons considerados “normais” podem em longo prazo causar problemas auditivos. “Pessoas que usam fones de ouvido em volume alto possuem mais chance de perder a audição devido à exposição prolongada. Uma vez que a surdez está relacionada a doenças e exposição do meio, quanto mais saudáveis forem os hábitos de vida, menos chance de evoluir para a perda auditiva”, destaca o especialista.

Algumas das principais causas de surdez adquiridas ao longo da vida, de causa súbita ou gradual, poderiam ser evitadas. São elas: cera no ouvido; presença de líquido; presença de um objeto; otosclerose; otite; efeito de algum medicamento; ruído excessivo; traumatismo cranioencefálico; síndromes e tumor no ouvido.

O tratamento para a surdez depende da causa, como limpeza ou drenagem do ouvido quando existe um grande acúmulo de cera ou secreção, realização de cirurgia em casos de tímpano perfurado ou para correção de alguma deformidade. No entanto, para recuperar a audição, existem próteses auditivas ou implantes de aparelhos eletrônicos que auxiliam no processo de execução auditiva.

“No tratamento da surdez há várias opções disponíveis, desde as formas mais leves até as mais severas. Dependendo da causa pode ser uma limpeza em consultório, uso de medicamentos locais, uso de medicamentos pela boca, cirurgias e até mesmo implantes de próteses e cocleares (os chamados ouvidos biônicos). Em casos que a criança nasce com surdez (a surdez congênita), o aparelho auditivo ou o implante coclear (em casos mais severos) pode ser uma opção para reabilitar a audição dessa criança”, explica Lourençone.

As formas de prevenção de surdez adquirida são simples e podem evitar problemas futuros. A visita ao otorrinolaringologista é recomendada para que o especialista verifique qualquer problema existente, introduzindo formas de tratamento para amenizar os problemas desenvolvidos. Para pessoas que já estão na terceira idade, onde a perda auditiva pode ser causada pelo envelhecimento, é ainda mais importante a consulta médica com regularidade para evitar a surdez.

“Como a exposição ao ruído é fator de risco para a surdez, evitar esta exposição seria a melhor forma. No entanto, como existem trabalhos que o barulho faz parte do ambiente, existem os protetores individuais de audição que diminuem o impacto do ruído sobre a audição, que inclusive são obrigatórios para quem trabalha nestes ambientes. Além de todos os fatores congênitos e adquiridos, o próprio envelhecimento pode levar à perda auditiva, geralmente lento e progressivo. Por isso, a importância de consultar seu otorrinolaringologista com frequência para que possa identificar logo no início a perda auditiva e possa reabilitar de forma adequada”, alerta o otorrinolaringologista.

dr-luiz-fernando-lourençone-otorrinoDr. Luiz Fernando Lourençone – Otorrinolaringologista – CRM SP: 135.896

Add Comment