Patologias

Conheça melhor as patologias tratadas pela otorrinolaringologia

Apneia do sono:

A apneia do sono é uma parada respiratória momentânea e involuntária que ocorre durante o sono. A síndrome não é fatal, mas sobrecarrega o organismo como um todo, causando fadiga, sonolência e cansaço durante o dia. As causas, em grande maioria, são genéticas, mas também podem ocorrer casos de distúrbios de tiroide, excesso de peso e amídalas grandes, provocando roncos, sono agitado e transpiração excessiva à noite. O tratamento pode ser realizado com a ajuda de aparelho ou através de cirurgia, dependendo do quadro do paciente. As cirurgias são realizadas em casos de apneia leve, moderada e grave. Podem ser de nariz, garganta, palato, língua, esqueletais e incluir implantes e próteses.

Dor de ouvido:

A dor de ouvido costuma apresentar-se em duas formas: intensa ou moderada. A intensa é resultado de infecções nos ouvidos como otite média ou externa. Já a moderada, é comum em adultos com problemas na articulação Têmporo-Mandibular. As dores são causadas normalmente por infecções nos ouvidos, como otite externa, que é a infecção da pele do canal do ouvido por germes ou fungos e, otite média, causada por bactéria ou vírus. Existem tratamentos, exames e cirurgias para a correção do problema, mas que deverá ser avaliado em sua necessidade por um especialista.

Perda auditiva:

A perda auditiva pode ocorrer de forma parcial ou total, em um ou nos dois ouvidos. As perdas auditivas são divididas em três tipos: a condutiva, a neurossensorial e a mista. No caso da deficiência auditiva condutiva, o som não pode ser transmitido normalmente através do canal auditivo ou do ouvido médio para a cóclea. A perda neurossensorial ocorre no ouvido interno, através das células ciliadas e quando os condutores nervosos sofrem alguma deteriorização, impedindo que os sinais do ouvido cheguem ao cérebro. As perdas mistas são causadas por fatores neurossensoriais e condutivos. . Existem tratamentos, exames e cirurgias para a correção do problema, mas que deverá ser avaliado em sua necessidade por um especialista.

Refluxo e engasgos:

O refluxo é causado basicamente pela quebra de barreira na produção de ácido no estômago, causando enfraquecimento da válvula que fica entre o esôfago e o estômago. Refluxo é o retorno do conteúdo gástrico para a região da laringe e faringe, levando a sintomas nos ouvidos, nariz e garganta. Em geral, o conteúdo gástrico é o resultado do processo digestivo, após a ingestão de alimentos ou bebidas. É importante consultar um especialista ao surgirem sinais de qualquer sintoma.

Rinite:

A rinite é o processo alérgico que ocorre no nariz e nos seios paranasais, causando irritação e inflação crônica ou aguda da mucosa nasal, apresentando sintomas como nariz entupido, espirros, coceiras no nariz, olfato prejudicado e dor de cabeça. A rinite pode provocar perda de qualidade física, diminuição do ritmo de trabalho, dificuldade na escola, aumentos de espirros, coriza, lacrimejamento, congestão nasal e dor de cabeça. A prevenção é realizada através de medicamentos e a falta de contato com substâncias que provocam a irritação.

Ronco:

O ronco é o barulho respiratório que emitimos ao dormir, provocado pela passagem de ar por uma via aérea apertada ou flácida. Suas causas normalmente são genéticas, mas também podem ser patológicas como distúrbios de tiroide, excesso de peso, amídalas e adenoides grandes, constituição anatômica crânio-maxilo-facial contribuem para o surgimento do ronco. Exames como Polissonografia podem diagnosticar a presença do ronco ou apnéia. Em alguns casos específicos, dependendo do quadro clínico do paciente, é necessário procedimento cirúrgico.

Rouquidão:

Também denominada como disfonia, a rouquidão não é uma patologia, mas uma consequência que se constitui em na alteração vocal, sendo definida como qualquer problema ocorrido no aparelho fonador que resulte na falta de clareza do som. A rouquidão é de caráter transitório, podendo ser aguda ou crônica. O sintoma mais comum é a perda de voz por mais de três vezes na semana, podendo ter como consequência tumores benignos ou malignos. Os tratamentos podem ser realizados de forma clínica ou cirúrgica, necessitando de diagnóstico precoce, que favorece o tratamento para que não avance para um quadro cirúrgico.

Sinusite:

A sinusite caracteriza-se pela infecção de um ou mais seios da face, podendo ser aguda, recorrente ou crônica. As causas estão relacionadas ao processo infeccioso por vírus, bactéria ou fungo. As infecções mais frequentes são por infecção viral, apresentando sintomas no processo inflamatório do nariz, associado à outros sintomas como como congestão nasal, tosse, febre, dor no corpo, perda de apetite, catarro e dor de cabeça. O tratamento se dá através de antialérgicos, corticoides, lavagens nasais, inalações e cirurgias.

Tontura, Vertigem e Labirintite:

A tontura é caracterizada por uma sensação de desequilíbrio. A vertigem é um tipo de tontura particular, causando sensação de instabilidade ou flutuação, provocando também sensação de rotação. A labirintite também é uma tontura, mas causada por infecção ou inflamação no labirinto. Como consequência, podem ocorrer perdas na audição. O tratamento varia de acordo com a causa, podendo ocorrer com om uso de medicamento, fisioterapia, hidroginástica, reabilitação vestibular (opção terapêutica para restabelecer o equilíbrio do paciente) e até cirurgia.

Zumbido:

O zumbido pode ser caracterizado como uma ilusão auditiva, sendo uma sensação sonora não relacionada com uma fonte externa de estimulação. Pode ser o único ou o principal sintoma envolvido em várias doenças otológicas, sistêmicas ou psicológicas. Os zumbidos normalmente são percebidos em ambientes silenciosos. Em caso de ruídos pulsáteis, acompanhando a frequência cardíaca, a causa mais comum é vascular. Também pode caracterizar problemas nas articulações mandibulares. A ingestão de certos medicamentos e infecção nos ouvidos também são causas do zumbido. O tratamento é realizado de acordo com a doença, podendo ser tratado clinicamente, com o auxílio de aparelhos auditivos ou cirurgias otológicas.